sexta-feira, 10 de outubro de 2014

O sertão vai virar festa

A 52ª edição da Festa do Boi vai começar em clima de show de arena. Oficialmente, o Parque Aristófanes Fernandes abre as portas para a feira a partir de sábado, mas já nesta sexta-feira será realizada a primeira noite da programação de shows do evento, às 21h30. Nos próximos dias 10 e 11, 17 e 18 de outubro,  Parnamirim vai receber uma maratona de shows nacionais para nenhum fã de música sertaneja, axé, pagode e forró botar defeito. 

A primeira noite de festa, nesta sexta, será só de estrelas. Vão se apresentar o forrozeiro galã Wesley Safadão, à frente da Garota Safada; a banda pioneira do axé Cheiro de Amor; a banda Magníficos, outro nome popular da nova geração do forró, e a dupla Zezé di Camargo & Luciano, as maiores estrelas da música sertaneja  do Brasil. Sucessos para todo lado, como “É o amor”, “Você vai ver”, “Sonho de amor”, “A distância”, “No dia em que eu saí de casa”, “Você vai ver”, “Evidências”, entre outras. 

No sábado, dia 11, vai ter muito suingue e balanço forró/axé, com as bandas Desejo de Menina, Os Nonatos, Musa, e a sensação baiana Psirico, que tocará “Lepo lepo” e todos os seus sucessos. A programação voltará no dia 17, com muita ênfase na música sertaneja: tocarão Mateus & Kauan, Gabriel Diniz, Bonde do Brasil, e a dupla goiana Jorge & Mateus, que está na crista da onda, já tendo gravado DVD em Londres. 

No dia 18, muitos clássicos do axé e do pagode: tocarão o Forró da Pegação, Raça Negra e seu pagode romântico cheio de sucessos, Bell Marques, que apesar da carreira solo não deixa de tocar para os chicleteiros. E por fim, o rock/pop de Swellen Pimental (ex-The Voice) para deixar a noite mais sortida.

Bate-papo - Zezé di Camargo e Luciano
Cantores

Em 23 anos de história, qual a maior mudança na indústria musical sertaneja?
Zezé -  A música sertaneja faz parte da cultura do país, portanto, a cada ano surgem novas duplas e compositores excelentes. O gênero sertanejo não é modismo. Quando começamos, em 1991, fomos intitulados de new sertanejo e nós recusamos este rótulo. Houve uma peneira e ficaram os que tiveram o reconhecimento do público. O mesmo vai acontecer agora.
Luciano - No início do anos 1990 o fenômeno sertanejo era maior e tinha menos gente dentro do movimento. Naquela época, tinha especial na Globo de música sertaneja, o Leandro e Leonardo tinham programa, havia umas cinco rádios FMs de música sertaneja no Rio. Hoje, só tem uma. As pessoas tem memória curta e o espaço era bem maior.

O que acham das novas vertentes do sertanejo, como o universitário e o arrocha?
 ZC - Não gosto do rótulo universitário. O que todos fazem é sertanejo e ponto.  
LC - Luan Santana canta desde que era criança. É um menino que eu admiro; o Gusttavo Lima, João Neto e Fred gostam de ZC&L desde pequenos, mas ninguém pode esquecer que eu tinha 17 anos quando comecei. Os novos artistas fortalece a música sertaneja, que é a paixão nacional. 

E os sucessos atuais?
LC - Estamos trabalhando nosso CD “Teorias de Raul”. O sucesso atual que já é uma das mais executadas em todo país, sem dúvidas, é “Flores em vida”.

Nenhum comentário: